Categorias
Sem categoria

St. Bueno: Descubra o bairro que recebe a nova unidade Smart Coworking Goiânia

A Smart Coworking Goiânia chegou e veio para ficar!

Que tal saber um pouco mais sobre o bairro em que a empresa corporativa está situada?

O Setor Bueno é um bairro com ótima localização, próximo à bares, restaurantes, casas noturnas, shopping e muito mais.

É um bairro completo e cheio de atrações, além disso é reconhecido pela sua tranquilidade, comodidade e segurança.

O bairro fica próximo ao Zoológico de Goiânia, Parque Amazônia e muito mais!

Smart Coworking Goiânia: principais atrações do St. Bueno

Coworking Goiânia

Se você tem um espaço de trabalho na Smart Coworking Goiânia e está curioso sobre o que o bairro tem a oferecer, aqui vão as principais dicas!

Descubra agora as principais atrações do bairro e quais delas tem a ver com você.

Parque Vaca Brava

Uma das principais atrações do St Bueno é o parque Vaca Brava. Com uma área verde incrível, o local é perfeito para fazer caminhadas, corridas e até mesmo para relaxar.

É um dos parques mais famosos de Goiânia, com uma vista incrível, é um local bem calma e ideal para descontrair com a família e amigos.

Rica Gastronomia

Coworking Goiânia

O St. Bueno oferece muitas opções de bares e restaurantes de diversos estilos, tudo para atender a preferência dos moradores do bairro.

A região também conta com restaurantes de comida chinesa, japonesa, americana, italiana e o famoso fast-food para quem vive apressado.

São diversas cafeterias e padarias espalhadas pelo bairro. 

Além de serem muito elegantes, possuem oferecem chá, café e tudo mais que uma cafeteria tem de melhor para satisfazer o cliente.

Vale destacar também as gelaterias e sorveterias gourmet com sorvetes artesanais de dar água na boca!

Morar no St. Bueno é seguro?

Se você gostou do bairro e de todas as atrações que ele oferece, mas tem dúvidas em relação à segurança, aqui vão algumas informações.

O bairro St. Bueno é considerado um dos mais seguros da cidade. 

É por esse motivo que a Smart Coworking Goiânia se instalou nessa região.

A região conta com um trabalho intenso da segurança pública e privada, visando oferecer o maior conforto e comodidade aos moradores do local.

O bairro é 100% iluminado e bem arborizado. É realmente uma localização privilegiada!

Além de segurança, o bairro oferece tudo o que há de melhor e de qualidade. Vale a pena.

Dúvidas? Deixe aqui nos comentários!

Existe o jeito antigo de trabalhar e existe o jeito SMART!

Hoje a SMART é considerado o MELHOR COWORKING de BRASÍLIA pelo melhor custo-benefício com alto padrão e contratação mais ágil.

Você pode até se dar ao luxo de pesquisar, mas, voltará a ele pela certeza de que não encontrou nada igual.

Aqui temos certeza que você consolidará a sua EMPRESA INTELIGENTE com MENOS custos e MAIS RESULTADOS!

Entre em contato com a SMART e faça sua empresa crescer!

SMART GOIÂNIA
Endereço: Av. T-2, 238 – Qd 98, Lt 06 – St. Bueno, Goiânia – GO, 74210-010

Categorias
Coworking Empreendedorismo Escritórios Sem categoria

Aqui estão três razões pelas quais o COVID-19 torna os espaços de coworking ainda mais importantes

O COVID-19 matará espaços de coworking?

Isso parece ser um prognóstico lógico e imediato a ser feito na nova era do teletrabalho e do distanciamento social. A crítica está cheia de previsões sobre quais aspectos da vida serão mudados para sempre como resultado da pandemia, bloqueios e conseqüências econômicas resultantes.

Qualquer lugar ou atividade que reúna um número considerável de estranhos é um dos principais candidatos a interrupções irrevogáveis ​​e danos duradouros. Mesas compartilhadas, escritórios e áreas comuns, que exigem que as pessoas saiam de casa, podem perder permanentemente seu fascínio. Ou, pelo menos, a demanda não retornará ao que era apenas alguns meses atrás. Na cidade de Nova York, não é de surpreender que os locais do WeWork tenham estado “praticamente vazios” nas últimas semanas.

A dor do WeWork continuará – mas não acho que isso sinalize uma dor mais ampla nos espaços de coworking em geral. De fato, há pelo menos três razões pelas quais o setor de coworking deve emergir da crise do COVID-19 não apenas mais forte, mas também mais importante e necessário. Na verdade, eles provavelmente são um dos seus principais ativos de recuperação agora .

Razão nº 1: trabalhadores remotos precisam trabalhar em algum lugar

Como Richard Florida e Steven Pedigo observaram , a pandemia deve levar as cidades a “adotar o teletrabalho”. Eles citam o Tulsa Remote, um programa lançado por organizações públicas e privadas em Tulsa, Oklahoma, para atrair trabalhadores remotos de outros lugares. Os espaços de coworking desempenham um papel fundamental nesse programa, hospedando os trabalhadores remotos realocados e ajudando-os a se conectar à cena local.

Um colega meu salienta que as grandes empresas provavelmente tentarão “desdensificar” seus escritórios – tanto para ajudar seus funcionários a gerenciar a crise e a transição na recuperação, quanto para evitar futuras interrupções. Grandes empresas de todos os tipos já localizam alguns funcionários nos espaços de coworking. Com os grandes negócios emergindo como um dos “vencedores” pós-crise, provavelmente veremos essa tendência continuar.

Agora, muitas pessoas estão se acostumando com o teletrabalho pela primeira vez e descobrindo todo tipo de maneiras de facilitar o trabalho. Isso pode significar que mais funcionários e empregadores se sintam confortáveis ​​com isso. Mas isso não significa que todos esses trabalhadores remotos trabalharão em casa para sempre. Após alguns meses de bloqueio e trabalho em casa, meu palpite é que milhões de pessoas estarão ansiosas para trabalhar de outro lugar, de qualquer outro lugar .

Coworking SMART

Razão No. 2: Redução de custos

Se você é empreendedor, além de conviver com as angústias de uma pandemia que atinge todo o mundo, também está preocupado com as empresas que estão fechando as portas em todos os lugares. Segundo um levantamento realizado pelo IBGE, mais de 300 mil empresas fecharam no Brasil nos últimos 4 anos, e com a rápida propagação do COVID-19, os números para os próximos 4 anos também não são nada animadores.

As empresas que estão sobrevivendo à crise precisaram tomar medidas emergenciais, reduzindo os salários de seus funcionários, adotando o teletrabalho (também conhecido como o home office) e passaram a se adaptar a uma dinâmica bem diferente do que estavam acostumados. Ao mesmo tempo, precisam manter o aluguel de um espaço ocioso, arcando com despesas como água, condomínio, conta de luz e taxas de manutenção. Com tantas despesas e pouca produtividade, é de se imaginar que muitos empreendedores estão vendo seus sonhos escorrerem pelas mãos tão rápido quanto a propagação de notícias preocupantes que afligem a população global.

Ao mudar a rotina de trabalho de uma equipe, mais desafios aparecem no caminho: como manter a motivação dos funcionários? Como otimizar a produtividade? De um lado, o problema das demandas. Do outro, o problema das despesas. O Coworking é uma solução inteligente para que o empreendedor não feche sua empresa. Em um momento de crise como esse, o melhor jeito é abrir a porta para os seus sonhos de uma forma inovadora, que economizará até 90% dos seus custos e com certeza vai te ajudar a pensar menos nos problemas e mais nas soluções!

Razão nº 3: a comunidade é a chave para a recuperação

Os espaços de coworking são motores econômicos locais por si mesmos. Em seu Relatório de impacto 2020 , lançado em janeiro, o Launch Pad revelou que, em seus cinco locais, seus negócios membros tinham:

  • Criou mais de 9.000 empregos,
  • Levantou mais de US $ 230 milhões em capital próprio e
  • Alugou mais de um milhão de pés quadrados de imóveis comerciais. *

* FD: Ajudei a Plataforma de Lançamento com o Relatório de Impacto.)

Esses são exatamente os tipos de números com os quais os líderes municipais e regionais se preocupam. No verão, depois que o período de emergência da crise diminuir, eles procurarão maneiras de criar empregos e ocupar espaço no escritório. Os espaços de coworking podem ajudar.

Tão importante quanto o impacto econômico é a dimensão da comunidade – e isso será extremamente importante para a recuperação e recuperação. À medida que avançamos para um futuro definido por algum nível sempre presente de distanciamento social, os laços da comunidade podem se desgastar. O impacto econômico para as pequenas empresas, diz Tyler Cowen, levará à “deterioração” do “capital organizacional”, que será difícil de restaurar.

Empresários, empresários e trabalhadores precisarão mais do que nunca de redes sociais e conexões locais para recuperar o equilíbrio. Já estamos vendo um certo grau de comunidades reunindo suas empresas locais por meio de shoppings de cartões-presente e outras fontes de apoio. Esse é um ótimo sinal; espero que persista.

Quando os bloqueios terminam, no entanto, não será como acionar um interruptor. Algumas empresas não reabrem; alguns sonhos empresariais serão permanentemente impedidos. A força da comunidade será essencial para ajudar as pessoas a se reconectarem, construírem novas redes e se apoiarem.

É o que os espaços efetivos de coworking fazem: eles são centros comunitários, fontes essenciais da Conexão Local que serão um ingrediente-chave na recuperação da crise.

O Coworking SMART

Presente no mercado brasiliense a seis anos, o Coworking SMART  deu início a um plano de expansão que levará a marca para outras unidades da federação. Em 2019 foi inaugurada a primeira unidade fora de Brasília, em Teresina, capital do Piauí. Este ano, a marca chega em Curitiba (PR). 

A marca traz soluções flexíveis e inovadoras para os empresários, com estrutura para atender empreendimentos de todos os portes, profissionais liberais e autônomos em regime de home office. Serviços personalizados de acordo com suas necessidades, com contratos avulsos ou fixos. Os principais serviços oferecidos são: escritório virtual; endereço fiscal para o registro de empresas; locação de salas executivas, de reuniões e treinamentos; atendimento telefônico e outros.

Você pode salvar a sua empresa agora mesmo! Para se cadastrar, basta falar com um de nossos consultores pelo WhatsApp. Eles estarão prontos para tirar suas dúvidas e conversar com você para encontrar o plano ideal para suas necessidades. Depois, você preencherá sua ficha cadastral, enviará os seus documentos e o resto é com a gente! Em menos de 24h, você poderá retomar as suas atividades, coordenando a sua equipe para manter a motivação e o incentivo de um time que com certeza precisa da sua gestão.

Conheça nossos serviços e escolha o plano mais adequado às suas necessidades. Você segue com o sonho da sua empresa agora para colher os frutos do seu sucesso em breve!

A partir de R$79 mensais você poderá economizar muito com os seguintes serviços:

  • ENDEREÇO FISCAL
  • COWORKING
  • SECRETÁRIA COMPARTILHADA
  • CONTABILIDADE ONLINE
  • CERTIFICADO DIGITAL com 50% de desconto
  • GESTOR FINANCEIRO
  • CLUBE DE NETWORKING

CADASTRE-SE AGORA e nossos consultores farão seu atendimento 100% da sua casa! Como são muitos empreendedores vivendo esta situação, as VAGAS são LIMITADAS de acordo com nossa capacidade de atendimento.

Existe o jeito antigo de trabalhar e existe o jeito SMART!

Hoje a SMART é considerado o MELHOR COWORKING de BRASÍLIA pelo melhor custo-benefício com alto padrão e contratação mais ágil. Você pode até se dar ao luxo de pesquisar, mas, voltará a ele pela certeza de que não encontrou nada igual. Aqui temos certeza que você consolidará a sua empresa inteligente com MENOS custos e MAIS resultados!

Quer ter o seu coworking e endereço fiscal em Brasília? Entre em contato com a SMART e faça sua empresa crescer!

Brasília – Asa Sul
​Av. W3 Sul CRS 502 Bl C Loja 37

Brasília – Asa Norte
Av. W3 Norte SEP/N 504 Bl A 3º Andar

Teresina/PI
Av. Homero Castelo Branco, nº 383​, Jóquei​

FONTE:

www.smartei.com.br/home-office-vantagens-e-desvantagens/

www.forbes.com/sites/danestangler/2020/04/03/here-are-three-reasons-covid-19-makes-coworking-spaces-even-more-important/#6b18b4a533ac

Categorias
Administração Coworking Destaque Empreendedorismo Endereço Fiscal Sem categoria

A EMPRESA INTELIGENTE: MENOS CUSTOS E MAIS RESULTADOS!

Por muitos anos, era preciso ser uma grande empresa para adotar as últimas tendências de inovação, principalmente pelo alto custo. Além disso, o conhecimento de ponta em gestão ficava restrito às grandes universidades e às empresas multinacionais. Veja nesse artigo o porquê felizmente isso mudou e como está cada vez mais ao seu alcance a possibilidade de transformar o seu negócio em uma EMPRESA INTELIGENTE: com MENOS custos e MAIS resultados!

Hoje o cenário mudou: pequenas e médias empresas são capazes de inovar e testar novosrecursos com a agilidade que falta às grandes organizações. Em poucas semanas, por exemplo, é possível adotar o modelo home office com sucesso. Ou, então, passar a usar uma nova tecnologia para atendimento automatizado aos clientes.

O grande ganho disso tudo está na capacidade de encontrar os melhores caminhos para o crescimento e para manter os pequenos e médios negócios competitivos.

Neste Guia, vamos compartilhar 10 lições para reduzir custos e otimizar recursos, com base no que nós da SMART aprendemos estudando profundamente sobre gestão e acompanhando mais de 5 mil negócios de pequeno e médio porte ao longo dos últimos 6 anos.

Esperamos com esse material ajudar a sua empresa a sair do papel com o pé direito ou, caso já seja empresário, contribuir para que tenha ainda mais sucesso nas suas operações.

 SEGREDO PARA CRESCER

Neste material, decidimos focar em redução de custos e otimização de recursos por um motivo muito simples. Diariamente, ouvimos depoimentos de empreendedores que precisaram desistir de seu sonho de negócio por causado custo de manutenção até chegar ao chamado breakeven, quando uma empresa começa de fato a gerar lucro.

Também acompanhamos  empresas  consolidadas  no mercado que precisaram fechar as portas devido à crise econômica. Você certamente leu muito sobre isso nos jornais nos últimos anos…

De toda forma, acreditamos que, mesmo com todas as dificuldades de se empreender no Brasil em meio a tanta instabilidade econômica, existam caminhos para aprimorar a eficiência do negócio, fazendo mais com menos investimentos e,  assim,  atingindo  a  tão  sonhada competitividade no mercado.

Sabemos,porém, que  não  é tarefa  simples.  Todo empreendedor que já precisou realizar cortes ou enxugar custosemmomentosdedificuldadessabeoquantoissoé penoso.

Nossa ideia, então, é compartilhar alguns caminhos para que você possa diminuir as despesas e aumentar a performance sem precisar diminuir o contingente, pausar projetos e deixar de inovar.

E,como além  de  sermos apaixonados  por empreendedorismo, também adoramos estudar e testar novas tendências, nossas dicas serão baseadas no que háde mais moderno no mundo dos negócios hoje!

O QUE HÁ DE MAIS MODERNO NO MUNDO DOS NEGÓCIOS?

Como falamos no início deste guia, antigamente era preciso ser uma grande organização para “bancar” boa parte das tendências que surgiam no mercado. Hoje, felizmente, temos a cesso fácil a práticas e tecnologias de ponta, podendo conhecê-las e testá-las enquanto evoluem.

Abaixo listamos 4 conceitos que têm ganho mais e mais destaque no mercado para que você construa sua Empresa Inteligente com menos custos e mais resultados! Elas fazem parte de boa parte das estratégias que estão surgindo no mundo para gestão dos negócios… e podem começar a fazer parte da sua empresa!

1) USO DE TECNOLOGIA: INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E MUITO MAIS!

Quando falamos em tecnologia, sem dúvidas o que merece maior destaque hoje é a Inteligência Artificial (IA) e todos os avanços que serão possibilitados por ela.

Mas o que é Inteligência Artificial? O termo foi criado em 1956, mas só se popularizou atualmente graças aos crescentes volumes de dados disponíveis, algoritmos avançados e melhorias no poder e no armazenamento dos computadores.

A IA possibilita que máquinas aprendam com experiências (Machine Learning), se ajustem a novas entradas de dados eperformem tarefas como seres humanos. Isso envolve outras tecnologias, como Deep Learning e processamento de lingua- gem natural. Com esses avanços, os computadores podemser treinadosparacumprirtarefasespecíficasaoprocessargran- des quantidades de dados e reconhecer padrões a partir deles.

O resultado? São as máquinas cada vez mais avançadas com as quais começamos a conviver: carros autônomos, robôs que cozinham como chefs e softwares cada vez mais avançados, capazes de prever ações e intenções.

E, embora isso ainda pareça tão distante da nossa realidade, já existem muitas empresas utilizando IA em suas estratégias. Conforme as previsões, isso deve se tornar cada vez mais aces- sível nos próximos anos e também assumir uma escala de cres- cimento vertiginosa.

Para entender melhor, basta olhar este gráfico da Business Insi- der com a data esperada para que os robôs consigam realizar determinadas tarefas:

2) ECONOMIA DE COMPARTILHAMENTO

A economia compartilhada, também conhecida como economia de compartilhamento ou economia colaborativa, é um modelo no qual existe uma inversão de prioridades entre possuir e utilizar um bem. Como exemplo, em vez de você comprar seu próprio carro, você utiliza o de outra pessoa quando precisa, contando com o serviço das plataformas de ride-sharing, como Uber e Cabify.

Desta forma, dois objetivos principais são alcançados: o da eficiência no uso dos bens e o da otimização dos custos. Esta é uma lógica que prevê um consumo mais consciente e que traz ganhos tanto para quem é o proprietário de determinado bem ou objeto, quanto para quem precisa utilizá-lo de maneira pontual.

Outras empresas que fazem parte deste conceito são Airbnb, Coworking SMART,  Enjoei, WeDoLogos, Green, Rappi… e todas as demais que estimulem o compartilhamento em troca do consumo.

Como empreendedor, especialmente se estiver à frente de um pequeno ou médio negócio, você pode aproveitar serviços e modelos de contratação que estão dentro deste cenário, alcançando eficiência e economia.

3) TRABALHO REMOTO

Como o nome já indica, trabalho remoto é aquele exercido à distância, sem a necessidade da presença física dos colaboradores. A modalidade mais conhecida de trabalho remoto é a do home office, quando o funcionário exerce as atividades a partir de sua própria casa. No caso de em sua residência não ser possível o registro de seu CNPJ, uma solução inteligente e barata é a contratação do serviço de Endereço Fiscal.

No entanto, o trabalho remoto pode ser realizado de qualquer lugar, a partir de escritórios compartilhados, cafés, espaços públicos ou onde mais houver um espaço de trabalho adequado e com acesso à internet.

É claro, o trabalho remoto é beneficiado por outras tendências, como a computação em nuvem e o BYOD (bring your own device, ou traga seu  próprio  dispositivo,  na tradução para o português). Com a portabilidade de sistemas, plataformas, arqui- vos e dispositivos como tablets e computadores, realmente se torna mais fácil trabalhar e colaborar à distância.

E, para os mais conservadores em relação à necessidade de se estar no mesmo ambiente físico, vale a pena considerar os dados do estudo Global Evolving Work force, conduzido pela Intel e pela Dell.

As vantagens do trabalho remoto

O efeito em colaboradores que atuam em modelo home office:

4) METODOLOGIA LEAN

Termos como Metodologia Lean, Lean Startup e Gestão Lean fazem parte do vocabulário da moda entre os líderes de startup. Mas a sua empresa não precisa necessariamente ser uma para aproveitar essa tendência para reduzir custos e otimizar recursos.

Traduzindo de forma literal, lean pode ser entendido como enxuto. Ou seja, quando falamos em metodologia lean, estamos falando sobre um método que institui apenas os recursos necessários para a realização do trabalho, etapa ou processo, evitando desperdícios.

Apesar de ser um conceito que remete à década de 1980, foi recentemente que ele se tornou popular como método para qualquer tipo de empresa, a partir do trabalho desenvolvido por Eric Ries, autor do livro A Startup Enxuta. Com uma metodologia mais universal, negócios de diferentes portes podem aplicar a Metodologia Lean para enxugar processos e melhorar os resultados da organização.

OK, E NA PRÁTICA? COMO REDUZIR CUSTOS E OTIMIZAR RECURSOS?

Ok, vimos quatro conceitos e tendências que estão ganhando o mundo e modernizando as organiza- ções na hora de enxugar custos. Mas como isso pode ser aplicado na prática em uma pequena ou média empresa?

Existem muitos caminhos para que você construa sua EMPRESA INTELIGENTE com MENOS custos e MAIS RESULTADOS. Na medida em que você começa a estudar e conhecer aplicações práticas, começa também a vislumbrar inovações que podeaplicar em sua própria empresa para crescer de forma mais acelerada e sustentável.

Para começar, separamos 10 aplicações para que comece a transformar a sua gestão hoje mesmo, sem altos e investimentos e com excelente retorno para as suas operações. Mas, isso fica para o próximo artigo! Por enquanto você pode conhecer uma das soluções inteligentes já citadas aqui: o Coworking SMART!

Presente no mercado brasiliense a seis anos, a SMART Escritórios Inteligentes deu início a um plano de expansão que levará a marca para outras unidades da federação. Em 2019 foi inaugurada a primeira unidade fora de Brasília, em Teresina, capital do Piauí. Este ano, a marca chega em Curitiba (PR). 

A marca traz soluções flexíveis e inovadoras para os empresários, com estrutura para atender empreendimentos de todos os portes, profissionais liberais e autônomos em regime de home office. Serviços personalizados de acordo com suas necessidades, com contratos avulsos ou fixos. Os principais serviços oferecidos são: escritório virtual; endereço fiscal para o registro de empresas; locação de salas executivas, de reuniões e treinamentos; atendimento telefônico e outros.

Você pode salvar a sua empresa agora mesmo! Para se cadastrar, basta falar com um de nossos consultores pelo WhatsApp. Eles estarão prontos para tirar suas dúvidas e conversar com você para encontrar o plano ideal para suas necessidades. Depois, você preencherá sua ficha cadastral, enviará os seus documentos e o resto é com a gente! Em menos de 24h, você poderá retomar as suas atividades, coordenando a sua equipe para manter a motivação e o incentivo de um time que com certeza precisa da sua gestão.

Conheça nossos serviços e escolha o plano mais adequado às suas necessidades. Você segue com o sonho da sua empresa agora para colher os frutos do seu sucesso em breve!

A partir de R$79 mensais você poderá economizar muito com os seguintes serviços:

  • ENDEREÇO FISCAL
  • COWORKING
  • SECRETÁRIA COMPARTILHADA
  • CONTABILIDADE ONLINE
  • CERTIFICADO DIGITAL com 50% de desconto
  • GESTOR FINANCEIRO
  • CLUBE DE NETWORKING

CADASTRE-SE AGORA e nossos consultores farão seu atendimento 100% da sua casa! Como são muitos empreendedores vivendo esta situação, as VAGAS são LIMITADAS de acordo com nossa capacidade de atendimento.

Existe o jeito antigo de trabalhar e existe o jeito SMART!

Hoje a SMART é considerado o MELHOR COWORKING de BRASÍLIA pelo melhor custo-benefício com alto padrão e contratação mais ágil. Você pode até se dar ao luxo de pesquisar, mas, voltará a ele pela certeza de que não encontrou nada igual. Aqui temos certeza que você consolidará a sua EMPRESA INTELIGENTE com MENOS custos e MAIS RESULTADOS!

Quer ter o seu coworking e endereço fiscal em Brasília? Entre em contato com a SMART e faça sua empresa crescer!

Brasília – Asa Sul
​Av. W3 Sul CRS 502 Bl C Loja 37

Brasília – Asa Norte
Av. W3 Norte SEP/N 504 Bl A 3º Andar

Teresina/PI
Av. Homero Castelo Branco, nº 383​, Jóquei​

Categorias
Sem categoria

Dicas para criar seu pitch para investidores

Todo empreendedor que está planejando ou iniciando uma startup anseia e, ao mesmo tempo, teme pelo dia em que terá a oportunidade de fazer um pitch para investidores potenciais. Este momento de apresentação do modelo de negócio pode ser definitivo para captar os recursos necessários para o crescimento ou, então, para determinar mais um período de bootstrapping.

Se está nos seus planos desenvolver seu pitch para investidores, neste artigo vamos dar algumas dicas fundamentais para estruturá-lo. Confira!

O que é um pitch para investidores?

Apenas como esclarecimento, vale voltarmos à definição de um pitch para investidores ou para clientes. Ele é uma rápida apresentação da empresa, que costuma ter por volta de 5 a 10 minutos, no qual apenas as informações mais relevantes sobre o modelo de negócio são apresentadas.

O objetivo é levantar capital para o crescimento da organização, gerando interesse dos fundos ou investidores particulares para conhecer melhor sobre o mercado e oportunidades. Ou seja, um momento chave para uma startup, mas também uma ferramenta que pode ser utilizada por qualquer negócio em sua estratégia comercial ou de relacionamentos estratégicos.

Como estruturar seu pitch para investidores?

Mas o que, afinal, precisa ter um bom pitch para investidores? Abaixo listamos os elementos principais. Apenas, lembre-se de que este discurso não precisa ser linear. O que importa é você apresentar todas as informações de uma maneira embasada, vendedora e envolvente.

1.Qual a necessidade do mercado?

A primeira das perguntas que deve ser respondida pelo seu pitch para investidores é qual a necessidade do mercado que o motivou a criar um negócio. Uri Levine, fundador do Waze diz “Apaixone-se pelo problema, não pela solução”. É exatamente isso que você deve mostrar: existe algo a ser resolvido na vida das pessoas e o seu produto pode ajudar!

2. Qual é a oportunidade?

Além de um problema, deve existir um mercado potencial significativo, muito bem mensurado e mapeado. De nada adianta ter uma solução sofisticada que ajudará apenas um pequeno grupo de pessoas, representando pouco potencial de escalabilidade e rentabilidade (palavras mágicas para os investidores).

3. Qual é a sua solução?

É claro, não deixe de falar sobre sua solução ou produto, preferencialmente mostrando protótipos, amostras ou demonstrações. Aqui, entretanto, o risco é se estender demais nos detalhes do que foi desenvolvido. Lembre-se de apenas encantar os potenciais investidores para continuar a conversa posteriormente, sem perder todo o tempo do seu pitch em torno da solução.

4. O que faz de você diferente?

Sua solução já possui concorrentes parciais ou similares? Então o que faz da sua empresa diferente a ponto de ganhar participação no mercado e gerar retorno para os seus investidores? Antecipe e tenha essas repostas na ponta da língua, pois, possivelmente, serão questões levantadas ao término da apresentação.

5. Qual é a oferta?

Por fim, deixe muito claro o que está buscando para sua empresa e o que está oferecendo em troca. Normalmente, a troca é capital por participação na empresa, mas, em muitos casos, parte das contrapartidas pode ser ajustada de acordo com outras formas de ganho, para ambos os lados.

Crie seu pitch, mesmo que ainda não precise dele!

Com essas dicas, você já tem a base necessária para estruturar seu pitch para investidores. O ideal é que torne seu processo de desenvolvimento em um aprendizado contínuo, testando abordagens e buscando referências. Participar de eventos para assistir às apresentações de outras startups ou acompanhar programadas como Shark Tank pode trazer boas ideias neste sentido!

Agora, mesmo que buscar novos recursos para seu negócio não esteja nos planos ou, ainda, não seja o foco para a sua empresa, vale a pena gastar algumas horas elaborando um bom pitch. Este discurso, como falamos anteriormente, pode ser uma ferramenta valiosa para dar início a uma série de ações: processo comercial, atividades de marketing, negociação com parceiros, entre muitos outros. No fundo, qualquer empreendedor, de qualquer tipo de negócio, precisa de um bom pitch de vendas!

Ficou interessado em conhecer mais dicas para iniciar sua empresa com o pé direito? Acompanhe o blog da Smart!

Categorias
Sem categoria

Inspiração: lições para empreendedores dos ganhadores do Oscar!

Mais um Oscar está chegando e a disputa para ver quem leva a estatueta de Melhor Filme continua sendo uma das mais acirradas. Não é por acaso: a cada ano, são indicados longa-metragens que dão uma verdadeira aula sobre cinema e nos emocionam por seu roteiro, direção e atuações.

Entretanto, muito além de entretenimento, essas obras nos apresentam importantes ensinamentos, que podemos aplicar em diferentes áreas da vida pessoal ou profissional. Neste artigo, listamos os filmes que ganharam o Oscar e que trazem as melhores lições para empreendedores.  Mas, atenção, contém spoilers!

1. Spotlight (2016)

Baseado em fatos reais, este filme conta o trabalho de reportagem da equipe do jornal Boston Globe na investigação e na divulgação de casos de pedofilia envolvendo a Igreja Católica. Os personagens principais são três jornalistas e seu editor (que também coloca a mão na massa), retratados na busca pelos fatos, no combate à burocracia e no trabalho árduo de meses de entrevistas e pesquisa.

O ensinamento principal deste longa-metragem não poderia ser outro. O trabalho em equipe é um ingrediente fundamental para o sucesso do time de jornalistas e para promover mudanças importantes no local de trabalho, na Igreja e na cidade.

2. O Discurso do Rei (2011)

Quem diria que um rei precisaria de ajuda? Pois bem, mesmo um dos homens mais poderosos do mundo à sua época, o Rei Jorge VI, contou com apoio para superar um desafio bastante pessoal, sua gagueira.

Este é o enredo principal de O Discurso do Rei, que mostra como o soberano do Reino Unido, incentivado por sua esposa, combateu a dificuldade de fala com o tratamento praticado por um fonoaudiólogo pouco convencional. Divertido, este filme nos mostra que a ajuda para aqueles problemas que parecem sem solução pode vir de onde nem esperamos…

3. Quem quer ser um milionário? (2009)

Muito além do que mostrar a cultura indiana e contar a história de um jovem das favelas de Mumbai, este filme ensina que todas as experiências pelas quais passamos podem nos ajudar a resolver problemas no futuro. É assim que o personagem principal consegue vencer um concurso televisivo, relacionando o que viveu com as perguntas realizadas no programa.

4. Menina de Ouro (2005)

Um filme denso e triste, mas com uma história de superação sem igual. Contra as expectativas de sua família, a sua idade e até a sua história de vida, Maggie (Hilary Swank) consegue se tornar uma lutadora de boxe profissional, vencendo preconceitos e superando desafios.

Sem dúvida, um do ganhadores do Oscar que mais nos ensina sobre o poder da determinação!

5. Gladiador (2001)

Outra grande narrativa de determinação, Gladiador traz como lição para empreendedores a importância de acreditar na vitória mesmo quando tudo parece estar perdido – ou quando a derrota parece ser o ponto final da história. Não é por menos, o personagem principal do filme é reduzido de General do Exército Romano a escravo, mas reconquista a glória se tornando um grande gladiador e vingando a morte de sua família.

6. Forrest Gump – O Contador de Histórias (1995)

É difícil escolher uma única lição quando pensamos neste filme, mas, já que estamos falando sobre empreendedorismo, vamos escolher uma! Quando Forrest Gump está servindo na Guerra do Vietnã, seu amigo Bubba fala o tempo inteiro sobre o sonho de abrir um restaurante especializado em camarões.

Anos depois do fim da guerra e da morte do seu companheiro, Forrest faz sua fortuna investindo na “Bubba Gump Shrimp Co.”. A lição? Uma excelente ideia de negócios pode estar mais perto do que você imagina (e talvez já tenha até ouvido falar bastante sobre ela!).

7. Gandhi (1983)

Não apenas o filme sobre ele, mas toda a trajetória de vida de Gandhi oferece lições para empreendedores aplicarem quando o assunto é liderança. Ao conduzir de forma pacífica o movimento pela independência da Índia contra a Índia Britância, Gandhi nos ensinou sobre o poder da influência positiva, capaz de mobilizar verdadeiras multidões sem uso da força ou da violência.

Prepare a pipoca – e quem sabe um bloco de notas?

Provavelmente você já tenha assistido a boa parte desses filmes que recomendamos neste post. Mas, há grandes chances de que não tenha prestado atenção neles com seu olhar de empreendedor. Por isso, que tal rever essas histórias premiadas de uma nova forma?

Prepare a pipoca para assistir a esses filmes, mas tomando notas de como estas lições para empreendedores podem ser aplicadas também no seu negócio. Além disso, essas obras são também ótimas sugestões para trabalhar em integrações com a sua equipe!

Você lembra de mais algum filme que tenha lições para empreendedores? Compartilhe aqui nos comentários deste artigo!

Categorias
Sem categoria

O que é growth hacking e como usá-lo para sua empresa crescer

Em meados de 2010, o empresário Sean Ellis popularizou o termo growth hacking: um conjunto de práticas com foco exclusivo em resultados rápidos e objetivos. Ou seja, é uma estratégia de marketing voltada a experimentos que se baseia na identificação de oportunidades de sucesso.

Uma vez que uma oportunidade é identificada, uma equipe começa a trabalhar para obter resultados rápidos que impactem diretamente no crescimento da empresa. Essa é uma tática de empreendedorismo muito utilizada em startups. Em geral, esse tipo de negócio não conta com um grande orçamento de marketing e, por isso, se utiliza da estratégia de crescimento ancorada em análises das primeiras interações entre seus produtos e clientes.

Gigantes do mercado econômico atual como Facebook, Twitter, LinkedIn, Airbnb e Dropbox utilizaram técnicas de growth hacking para crescer. As empresas que têm sucesso a partir dessa estratégia, geralmente tem um “loop viral” naturalmente integrado ao seu processo de negócios valendo-se de criatividade, análise de métricas e de desempenho da marca junto ao público.

Entre as táticas mais empregadas do growth hacking estão o marketing de conteúdo, e-mail marketing e o SEO. Por meio deles, clientes em potencial são impactados com informações sobre o produto e/ou serviço oferecido por uma empresa. Uma vez que eles compram a ideia, passam a divulgar e compartilhar em suas redes o conteúdo que receberam. Assim, a propaganda inicial alcança mais clientes em potencial.

Para esta nova clientela, a informação possui, automaticamente, mais credibilidade agregada, já que foi repassada por uma pessoa conhecida e não diretamente pela empresa. Por isso, as chances de também compartilharem em suas próprias redes é muito maior, gerando um viral. E é este ciclo retroalimentado que pode resultar em crescimento exponencial para a instituição.

Entretanto, muitas empresas tendem a estagnar o processo após um período de rápido crescimento. Pensando nisso, Sean Ellis passou a formar profissionais para dar continuidade ao trabalho. Surgia assim a figura do growth hacker.

Muito além do marketing, o growth hacker precisa entender muito bem de processos, metodologia de experimentos, tecnologia e avaliação do público consumidor: saber como as pessoas pensam ao longo da jornada de compra, como reagem e pelo que são motivadas.

“Resumindo, o growth hacker é a pessoa – ou equipe – que encontra espaços, atalhos, para fazer crescer os resultados de um negócio.”

Feita a implementação, é preciso também monitorar a operação e os resultados preliminares. A estratégia de growth hacking usa uma abordagem científica para fazer as organizações expandirem mais rapidamente. Daí a definição de “marketing orientado a experimentos”. Por isso, é importante manter o planejado.

Pensar como um growth hacker permite ao empreendedor encontrar e explorar, de maneira científica e bem embasada, os gatilhos que farão sua empresa gerar mais resultados com menos recursos.

Categorias
Sem categoria

6 Formas de reduzir custos com finanças

O papel do administrador financeiro é assegurar que o capital da empresa esteja disponível nos montantes adequados, no momento certo e ao menor custo. Se isso não ocorrer, a empresa não sobreviverá. Por isso, para os novos empreendedores, é importante organizar um plano financeiro antes de abrir seu negócio.
As decisões financeiras, não devem ser tomadas isoladamente. O pessoal de finanças precisa trabalhar em conjunto com o pessoal de marketing e de operações. Deve não somente “dirigir os números”, mas também assimilar o custo dos produtos, a forma de comercializá-los, o dilema entre margem e volume de vendas e como as tendências econômicas e sociais afetam a empresa.
Neste artigo continuaremos com algumas dicas de como diminuir seus custos com Finanças:

1) VERIFIQUE O REGIME TRIBUTÁRIO

É possível diminuir a quantia gasta com impostos verificando se a empresa está no enquadramento tributário adequado. Os regimes de Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional têm alíquotas diferentes, além de créditos e deduções próprios, e vale simular, com um contador, em quais enquadramentos a empresa poderia entrar e quanto pagaria neles.

2) RENEGOCIE DÍVIDAS

Se a empresa tem dívidas, uma maneira de honrá-las, economizando, é renegociá-las com os credores e tentar obter a menor taxa de juros possível. É preciso, no entanto, calcular a real capacidade que a empresa tem de pagar esse débito nas condições pleiteadas, levando em consideração o prazo de pagamento e as parcelas.

3) ANALISE O FLUXO DE CAIXA

Para não ter de recorrer ao endividamento, faça uma análise do fluxo de caixa dos últimos 12 meses e verifique em quais períodos há baixa de vendas e necessidade de capital. Com isso, negocie com os fornecedores um remanejamento dos prazos de pagamento, propõe Liana Bittencourt, do Grupo Bittencourt. O segredo é fazer isso com antecedência, se o remanejamento é pedido em cima da hora, quando o fornecedor já aguarda o pagamento, as chances de conseguir uma prorrogação são menores.

4) PLANEJE O ENDIVIDAMENTO

O endividamento pode ser um trampolim para o crescimento da empresa, mas deve ser planejado. Organize-se para pagar juros menores, evitando as opções de acesso mais fácil, porém com taxas mais altas, como o cheque especial. Compare as condições de financiamento em diversos bancos.

5) APRESENTE BONS PROJETOS AO BANCO

Os planos de negócios não servem só para dar início à empresa. Quando tiver projetos de expansão, estruture-os antes de ir ao banco. Com uma boa proposta, conseguem-se condições melhores de pagamento dos empréstimos.

6) NEGOCIE AS TARIFAS BANCÁRIAS

Uma boa fatia da receita da empresa é usada para pagar tarifas bancárias. “Elas podem chegar a quase 1% do faturamento”, diz Dariane Castanheira, do ProCED/FIA. No entanto, as tarifas podem ser renegociadas com o banco. Para conseguir uma redução, é necessário ter controle do caixa e estar em dia com os pagamentos.

Os custos com finanças são inevitáveis, mas com certeza é possível reduzir drasticamente fazendo o controle correto de sua empresa.

Categorias
Sem categoria

Saiba 4 formas de diminuir gastos com uma boa gestão estratégica

Neste artigo começaremos a compartilhar dicas e informações para a redução de custos em diversas áreas de seu negócio.

1)    TENHA CLAREZA DOS CUSTOS 

Muitas empresas só começam a cortar gastos quando estão em um momento de sufoco, geralmente sem uma avaliação prévia e acabam cortando recursos essenciais para os resultados da organização. Por isso, torna-se necessário ter clareza de todos os custos da empresa e um fácil acesso ao seu histórico, efetuando cortes apenas aos que menos interferem no lucro e na qualidade do serviço/produto.

Na SMART Escritórios Inteligentes, os diretores Saulo e Pedro Da Rós reúnem-se mensalmente com a Gerente de Operações Gislaine Dias e o departamento financeiro para verificar as despesas do mês anterior e reavaliá-las para o mês seguinte. “Cortamos tudo aquilo que não afetará a qualidade do nosso serviço, bem como, o que não comprometerá a produtividade e a qualidade de vida de nossos colaboradores”, afirma Saulo.

2) INCLUA A REDUÇÃO DE CUSTOS NAS METAS

Tenha em mente que, quanto menos gastar, mais ganhará. Quanto mais inteligentes forem seus investimentos, mais eficiente será sua empresa e interessante seu resultado. O planejamento estratégico de uma empresa deve incluir não somente o aumento das vendas em suas metas, mas também, as de redução de gastos, após feita a análise dos custos. Desta forma torna-se possível a definição dos caminhos que levem aos índices necessários e desejados.

3) ENGAJE SUA EQUIPE COM UMA GESTÃO ESTRATÉGICA 

Os colaboradores são peças-chave para que ocorra a redução de custos e a comunicação interna deve ser priorizada para que toda a equipe faça parte dessa causa, desde a limpeza à diretoria. Uma forma de tornar os cortes mais eficazes é envolver todo o quadro na definição das metas e utilizar parte da economia realizada como premiação ao time, assim que elas forem alcançadas. Essa estratégia faz parte da gestão estratégica e poderá ser utilizada na diminuição do consumo de itens como material de escritório, energia elétrica e manutenções em geral.

4) PRIORIZE O ATENDIMENTO AO CLIENTE 

Afinal, quem paga os salários dos colaboradores, os patrões ou os clientes? Esta resposta deve ser analisada com carinho.

O planejamento de redução de custos não pode desviar a atenção sobre a qualidade e eficiência do atendimento àqueles que são a fonte de recursos de uma empresa, para que os cortes não repercutam negativamente sobre eles. Uma pizzaria, por exemplo, que economiza com recheios mais baratos e também atendentes sem experiência pelo menor custo com salários, com certeza causará incômodo aos fregueses e, com isso, perderá vendas e clientes.